Relaxamento no Jardim dos Deuses

Posted on 22/05/2007 por

0


por Laís Buri

Céu azul, sol forte, grama, mar, brisa, coqueiros, barulho das ondas. Esse é o cenário propício para esquecer a rotina e se entregar às belezas da natureza. Enquanto milhares de pessoas buscam esse ambiente para relaxar, outros fazem desse local o seu ambiente de trabalho. Unir o útil ao agradável é a proposta dos massoterapeutas do Jardim de Alá. O projeto teve início há doze anos, foi idealizado pela Policia Militar. Era o chamado Verão Light. Tinha o objetivo de levar a população condições para manter uma boa saúde e condicionamento físico. Era disponibilizado aulas de educação física, sessões de massoterapia, fisioterapia e alongamentos. O projeto se deslocou para o Jardim dos Namorados, mas o massoterapeuta Henrique Costa, encantado pelo ambiente, deu continuidade ao seu trabalho no mesmo local. “Eu trabalhava no centro de educação física da polícia militar e fazia massagem entre quatro paredes. Chegando ao Jardim de Alá fiquei fascinado pela beleza desse lugar que faz jus ao nome, Jardim dos Deuses, e por isso quis continuar aqui”, conta Costa. O ex sargento ainda revela que quando iniciou solitário o seu projeto, ficou um mês sem fazer massagem, pois as pessoas tinham receio de se expor. Com o passar do tempo foi ganhando clientela e credibilidade. E a partir daí, outros massoterapeutas resolveram aderir a sua idéia, e praticar a massagem ao ar livre. E hoje, o gramado do Jardim dos Deuses está repleto deles.

Eles não trabalham em equipe, por isso o espaço já está se tornando pequeno para atender a demanda desses profissionais, que buscam um espaço a beira-mar para exercer o seu ofício. Em função dessa grande procura, está sendo criado o Sindicato dos massoterapeutas do Jardim de Alá, visando controlar o número desses profissionais, que por estar crescendo tanto, atrapalha não só eles como as pessoas que freqüentam o local. “O Jardim de Alá é um espaço público, não é só dos massoterapeutas. E, entretanto, eles estão tomando conta de toda a área. Não temos mais espaço para circular na grama, as crianças não podem mais brincar. Cada metro quadrado aqui é acirradíssimo” revela Maria Cândida, que pratica “cooper” na orla a sete anos.

Amassando os músculos

A massoterapia é uma técnica de massagem, que consiste em manobras com as mãos, e pode ser realizada em pessoas de todas as idades. Tem finalidade terapêutica, estética, emocional, anti-estresse, e desportiva. Através do toque, do amasso dos músculos, consegue aliviar as tensões e dores musculares, levando ao relaxamento. Além de ajudar na circulação sanguínea, melhorar a consciência corporal e o humor.
A união de toda essa técnica com a natureza só podia dá certo, e deu. Hoje, a massoterapia na praia do Jardim de Alá é uma realidade, que a cada dia conquista mais adeptos. Foi o pioneiro nessa idéia, mas o sucesso foi tão grande que já existem profissionais atuando no Cristo da Barra, e no Dique do Tororó, apesar de não ser um número representativo.O projeto de massoterapia na praia já tem freqüentadores assíduos, e que não dispensam, se quer uma sessão. É o caso de Carlos Roberto, morador da região a 20 anos, e adepto dessa prática a 10. Ele declara que o contato com a natureza, associado à massoterapia relaxa e o renova. “O visual é maravilhoso, só de ver o mar já desestressa. A massagem é relaxante, depois dela me sinto novo, como se fosse um adolescente”.

Jardim dos Deuses

A grama forma um grande tapete verde, que contrasta com o azul do mar, e o horizonte. Os coqueiros dão um tom mais sereno ao local. O sol é escaldante, mas a brisa do mar ameniza o mormaço. É nesse clima, que as pessoas se rendem a deitar na maca e esquecer por sessenta minutos a correria do outro lado da Avenida Otávio Mangabeira.O sol forte não intimida quem está disposto a se desligar do estresse do dia-a-dia, mas mesmo assim, ele é combatido por um guarda-sol que cobre a maca. Depois de uma rápida conversa, o que será um tele-transporte para outro mundo, começa. O uso de cremes é opcional, mas a cliente da vez nega o recurso. A mulher está de biquíni, já que é essencial o uso de roupas leves. As mãos do massoterapeuta percorrem por todo o corpo dela, mas a relação é estritamente profissional e respeitosa. Ela permanece imóvel, de olhos fechados, às vezes solta um gemido de dor, outras de satisfação. O profissional é atento a cada movimento, toque, e cada manobra é feita com muita delicadeza.

O som não é apropriado para o momento. Carros circulam na avenida, buzinas, freadas bruscas e até palavrões. Pessoas passam conversando, ambulantes berrando, mas, sobretudo um trator insistentemente executa a sua obra a poucos metros. Mas parece que nada disso atrapalha aquela sessão. Nada tira a concentração do massoterapeuta, e muito menos a entrega da cliente. É como se estivessem em outro lugar.

Após exatas uma hora, acaba. A mulher lentamente vai abrindo os olhos, e o sorriso de satisfação logo vem à tona. “Depois dessa vou mudar de nome. Me sinto outra pessoa. Parece que tirou um peso de mim. Vou flutuando pra casa!” revela de forma divertida a estudante de direito, Maria Luiza de 22 anos.

Concorrência

O projeto de massoterapia na praia já tem 12 anos, no entanto a massoterapia em si, é realizada em Salvador há mais tempo. Existem centenas de espaços que executam essa atividade, a fim de permitir que o cliente atinja uma melhor qualidade de vida.O profissional que coloca em prática essa técnica não precisa ter nível superior, apesar de muitos fisioterapeutas aderirem a essas manobras manuais. É necessário apenas, fazer um curso de especialização, e você está pronto para aliviar tensões, e promover o relaxamento. Assim como a massagem na praia tem a sua clientela, as massagens em clínicas especializadas também têm os seus fiéis. “Eu acho interessante esse projeto na praia, mas estou satisfeita com a clínica. Não me sentiria bem sendo massageada no meio da rua. Além de não ser um lugar reservado, e livre de barulhos. Acredito que tem que ser um momento tranqüilo, o que com certeza esse local não propicia”, declara a aposentada Djalma Pereira, 69 anos.

A idéia de aliar natureza e massoterapia atrai um grande contingente de pessoas, tanto profissionais, como os interessados em sentir na pela os benefícios dessa técnica. Mas ainda sim, essa prática não é considerada ameaçadora pelos massagistas de clínicas especializadas. A fisio e também massoterapeuta, Carla Amorim afirma que não se sente ameaça com o sucesso do projeto. Acredita que cada ambiente tem o seu público, além da confiança no profissional. “Gosto do projeto, e até já me submeti. Adorei! Mas tenho clientes que não se exporiam dessa forma. Preferem um lugar mais tranqüilo, sem movimento e pessoas ao redor”, afirma confiante Amorim.
(maio de 2007)

 

Anúncios
Posted in: CIDADE